OFERTA FORMATIVA

Ref. ACD 32Mirandela Inscrições abertas até 09-07-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD 32

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 10-07-2024

Fim: 10-07-2024

Regime: Presencial

Local: Mirandela

Formador

Marco Alexandre Carvalho Bento

Destinatários

Todos os grupos

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE do Tua e Douro Superior e Agrupamento de Escolas de Mirandela



INSCREVER-ME

Ref. Ação 14Mirandela A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121920/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 24-04-2024

Fim: 10-07-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária /3º ciclo de Mirandela

Formador

Miriam Sílvia Nascimento

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

No âmbito da Portaria n.º 196-A/2010, publicada a 9 de abril, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente. Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A Saúde Escolar é um programa amplo inserido no Programa Nacional de Saúde que preconiza a promoção da saúde e a prevenção da doença, tendo por base, tal como refere a DGS na CN nº9/DSI, de 92/10/06 “…apoiar os alunos na descoberta do valor do seu potencial de saúde e na adoção de respostas adequadas e construtivas aos desafios do quotidiano, capazes de lhes proporcionar competências de autonomia, responsabilidade e sentido crítico indispensáveis à opção e adoção de comportamentos e estilos de vida saudáveis; saberes e resistências que lhes permitam contactar e conviver diariamente com múltiplos fatores de risco sem que se verifiquem prejuízos para a saúde…”. Assim, a estratégia de intervenção em SE no âmbito da Promoção da Saúde e Prevenção da Doença assentará em atividades que serão executadas de forma regular e contínua ao longo do ano letivo, tais como: ”Primeiros Socorros”. Um dos objetivos da OMS é reduzir a mortalidade e incapacidade, resultante dos acidentes rodoviários, domésticos e de lazer, e por acidentes de trabalho, na população em geral e nas crianças e jovens em particular. No Plano Nacional de Saúde os traumatismos, ferimentos e lesões acidentais são reconhecidamente uma área de intervenção prioritária. Logo, consideramos que a intervenção em Primeiros Socorros prestados com qualidade representa uma área crucial para o bem-estar de toda a comunidade educativa. Sabemos que acidentes, lesões ou doenças podem acontecer subitamente, assim a ajuda imediata depende frequentemente de familiares, colegas, ou pessoas que estão no local certo à hora certa. Com conhecimentos de Primeiros Socorros, qualquer pessoa pode ajudar numa destas situações. Para isso, é importante que o socorrista execute Primeiros Socorros de forma correta.

Objetivos

Objetivo geral: Difundir conhecimentos gerais de Primeiros Socorros para que o formando fique habilitado para identificar as situações e executar as técnicas de Primeiros Socorros adequadas, visando a estabilização da vítima de acidente ou doença súbita até à chegada dos meios de socorro. Objetivos específicos: Dotar o formando de conhecimentos sobre: • Os quatro passos em Primeiros Socorros: - garantir a segurança; - examinar a vítima; - dar o alerta; - prestar os primeiros socorros • A atuação correta em caso de: - hemorragias; - feridas; - mordeduras; - picadas de insetos; - queimaduras; - obstrução da via aérea; - entorses; - fraturas; - perda de consciência; - enfarte agudo do miocárdio; - acidente vascular cerebral; - crise asmática; - crise nervosa; - lipotimia/síncope; - hipoglicemia; - convulsões; - intoxicações. • Suporte Básico de Vida • Composição da mala de Primeiros Socorros

Conteúdos

Sessão 1: (3 horas) - Apresentações formadoras/formando - Apresentação de objetivos/conteúdos - Avaliação de conhecimentos pré-formação Os conteúdos da formação “Primeiros Socorros” estão divididos pelas seguintes sessões: 2. Os quatro passos em Primeiros Socorros (2 horas) - garantir a segurança; - examinar a vítima; - dar o alerta; - prestar os primeiros socorros 3. Hemorragias/feridas/fraturas/entorses (3 horas) 4. Obstrução da via aéreas/queimaduras/picadas de insetos/mordeduras (3 horas) 5. Convulsões/intoxicações/perda de consciência (2 horas) 6. Enfarte agudo do miocárdio/acidente vascular cerebral (2 horas) 7. Crise asmática/crise nervosa/lipotímia/síncope/hipoglicemia (2 horas) 8. Suporte Básico de Vida (6 horas) 9. Composição da mala de Primeiros socorros/avaliação (2 horas)

Metodologias

As atividades a realizar no curso decorrem em sessões presenciais, teórico/práticas, num total de 25 horas. As sessões deverão ser de carácter predominantemente prático, com alguns momentos expositivos/demonstrativos. Sugere-se a metodologia de aprendizagem por execução de tarefas. Salienta-se que as atividades integradoras devem ser desenvolvidas com a preocupação de ligação com os contextos e as vivências profissionais dos participantes. Assim, serão utilizadas as seguintes técnicas ao longo de todas as sessões: - Brainstorming; - Debates; - Utilização de questionários; - Trabalho de pesquisa Role-play; - Carrossel de perguntas; - Execução de técnicas; - Produção de cartazes; - Fichas; - Exploração de vídeos.

Avaliação

Os formandos serão avaliados quantitativamente numa escala de 1 a 10 valores com a menção qualitativa de: 1 a 4,9 valores – Insuficiente; 5 a 6,4 valores – Regular 6,5 a 7,9 valores – Bom 8 a 8,9 valores – Muito Bom 9 a 10 valores - Excelente, de acordo com os critérios definidos pela Comissão Pedagógica do Centro de Formação e pelo Conselho Científico e Pedagógico da Formação Contínua de Professores.

Bibliografia

Pinto, Ana Maria. (1988). Manual de Primeiros Socorros. Lisboa:Publicações Europa-AméricaManual de Suporte Básico de Vida (2017) INEMReis, Isabel. (2010) .Manual de Primeiros Socorros Situações de Urgência nas Escolas, Jardins de Infância e Campos de Férias.Lisboa: : Editorial do Ministério da EducaçãoValente, Miguel. (2012) Et a.l Abordagem à vítima- Manual TAS/TAT .INEM

Anexo(s)

Cronograma


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-04-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
2 22-05-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial
3 29-05-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial
4 05-06-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial
5 12-06-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial
6 03-07-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 17:30 3:30 Presencial
7 10-07-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 18:30 4:30 Presencial

Ref. ACD 30Carvalhais Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 30

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 21-06-2024

Fim: 21-06-2024

Regime: Presencial

Local: EPA/Carvalhais - Mirandela

Formador

Luis Manuel Ribeiro Monteiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

EPA/Carvalhais-Mirandela


Observações

Prioritário para os docentes da EPA/Carvalhais - Mirandela

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-06-2024 (Sexta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. Ação 24Moncorvo Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-125734/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 18.0 horas

Início: 08-06-2024

Fim: 10-06-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Drº Ramiro Salgado-Torre de Moncorvo

Formador

José António Flambó Afonso Batista

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A visita de estudo, como complemento e extensão da sala de aula, é indubitavelmente uma estratégia potenciadora de desenvolvimento de múltiplas competências, alinhadas com o Perfil dos Alunos à Saída Escolaridade Obrigatória, em estreita articulação com as Aprendizagens Essenciais das várias áreas disciplinares e com a Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania. De facto, a visita de estudo, numa escola que se pretende inclusiva, deve ser entendida como uma prática pedagógica ao serviço da concretização do currículo, impulsionadora de aprendizagens integradoras, contextualizadas e estimulantes para todos(as). Além disso, a visita de estudo fomenta o contacto in loco com o mundo real, mobiliza diversas literacias, valoriza as línguas estrangeiras, confere ao aluno um papel ativo na construção de saberes, contribui para a formação holística dos estudantes e para uma cidadania ativa. Em síntese, a visita de estudo possibilita o enriquecimento curricular e cultural, bem como promove “o conhecimento através de atividades e projetos multidisciplinares, a formação pessoal e social dos alunos e a articulação entre a escola e o meio” (Despacho n.º 6147/2019, de 4 de julho).

Objetivos

- Conhecer o enquadramento legal das visitas de estudo; - Incentivar a planificação, implementação e avaliação de visitas de estudo, em consonância com o Projeto Educativo de cada Agrupamento de Escola/ Escola não agrupada; - Promover a melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem, no contexto da autonomia e flexibilidade curricular; - Fomentar o trabalho colaborativo interdisciplinar, a inovação de práticas educativas, o conhecimento científico, a curiosidade inteletual, o espírito crítico e criativo, a cidadania interventiva e europeia; - Desenvolver a sensibilidade estética e artística para uma vivência cultural informada.

Conteúdos

- Apresentação do curso: organização, funcionamento e avaliação. - Enquadramento legal das visitas de estudo. - Visita de estudo: conceito, potencialidades e constrangimentos. - Condições para a realização de visitas de estudo. - Valorização do património artístico e cultural: ato de cidadania europeia. - Ferramentas digitais a integrar ao longo do curso. Módulo 2 (14h) - Etapas de participação na visita de estudo internacional: Torre de Moncorvo, Cáceres, Mérida, Córdoba, Sevilha. - A localidade como documento cultural: vestígios materiais, fauna e flora, água (rios Guadiana e Guadalquivir), lugares históricos, obras de arte, textos históricos. Módulo 3 (2h) - Avaliação do Curso: desafios propostos, plano de atividade colaborativo interdisplinar e breve reflexão.

Metodologias

Será adotada uma metodologia ativa e participativa para a concretização dos objetivos estipulados, privilegiando-se momentos de interação diferenciada, a saber: momentos de caráter expositivo, com exploração, em grupo, de aplicativos digitais (Tricider, QR Code Monkey, Mentimeter, Trading Card, Quizzes…), momentos de realização autónoma de propostas (visitas a locais selecionados, pesquisa orientada em documentação recolhida/ facultada) e momentos de debate/ reflexão participada, com base no Diário de Bordo digital (Digipad), gradualmente construído pelos participantes.

Avaliação

A avaliação realiza-se nos termos da legislação em vigor, expressa numa escala de 1 a 10 valores (Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio), tendo em conta os seguintes itens: - Formação presencial com frequência obrigatória em dois terços do número de horas de duração do curso; - Realização e publicação dos desafios propostos no Diário de Bordo digital (50%); - Elaboração de um plano de atividade colaborativo interdisplinar, no âmbito do paradigma de educação inclusiva e do desenvolvimento de práticas inovadoras (30%); - Produção de uma breve reflexão sobre o impacto do curso nas práticas pedagógicas de cada formando/a (20%).

Bibliografia

Almeida, António (1998). Visitas de estudo – conceções e eficácia na aprendizagem. Livros HorizonteCarvalho, Ana (2020). Aplicações para dispositivos móveis e estratégias inovadoras na educação. ME – DGECircular Informativa DGEstE 1/2017, de 22 de maioDecreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julhoDespacho n.º 6147/2019, de 4 de julho



Ref. Ação 26Vila Flor Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-125852/24

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 10-05-2024

Fim: 22-06-2024

Regime: b-learning

Local: Agrupamento de Escolas de Vila Flor

Formador

Elsa Carina da Silva Escobar

Destinatários

Professores dos grupos de recrutamento 120, 210, 220, 300, 310, 320, 330, 340, 350

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 120, 210, 220, 300, 310, 320, 330, 340, 350. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos de recrutamento 120, 210, 220, 300, 310, 320, 330, 340, 350.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A publicação do Decreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julho, que assume a “afirmação da avaliação das aprendizagens como parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens” como um dos seus princípios orientadores, e a subsequente implementação do Projeto MAIA, a partir de setembro de 2019, com o intuito de contribuir para melhorar as práticas de avaliação e de ensino, vieram transformar a “Avaliação” numa dos temas mais ubíquos nos debates atuais nas escolas. Consequentemente, e atendendo a que:  A avaliação pedagógica assume, na escola atual, uma centralidade inegável, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, nomeadamente como promotora do “sucesso escolar”;  O domínio das línguas maternal e estrangeira se constitui indispensável para uma comunicação perspícua no mundo hodierno;  As Aprendizagens Essenciais das Línguas Estrangeiras devem ser perspetivadas em conformidade com o QECRL, que, sofreu, em 2020, alterações; Considerou-se pertinente desenvolver uma oficina de formação que contribua para que os/as professores/as de língua estrangeira consolidem a mudança de modo contextualizado, aprofundem competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das e para as aprendizagens, designadamente, através de desenvolvimento de recursos pedagógicos e didáticos a aplicar nos seus contextos educativos.

Objetivos

- Contribuir para o desenvolvimento de competências e conhecimentos no domínio da avaliação, designadamente da avaliação pedagógica, congruentes com as orientações constantes nos documentos legais e com o QECRL (níveis de língua e seus descritores, no que diz respeito às Competências Linguísticas e de Mediação); Explicitar e contextualizar o conceito de mediação no QECRL; Identificar os diferentes tipos de mediação nas línguas; - Realçar a mediação nos documentos curriculares de referência (PASEO e AE); - Analisar os mecanismos de avaliação das competências comunicativas utilizados pelos participantes; - Analisar critérios, parâmetros e descritores de avaliação dos Departamentos de Línguas Estrangeiras à luz do QECRL, tentando identificar processos de recolha de informação adequados às competências em apreço; - Desenvolver processos de recolha de informação das competências comunicativas de acordo com o QECRL; - Conhecer modelos de tarefas para os vários níveis de ensino que incluem a mediação; - Promover a melhoria da qualidade do processo de ensino-aprendizagem-avaliação; - Fomentar a partilha de atividades e estratégias.

Conteúdos

1. Apresentação, informações e enquadramento teórico – 3 horas 2. Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica – 3 horas 3. Familiarização com os descritores das competências e subcompetências do QECRL. Análise de critérios, parâmetros e descritores de avaliação dos Departamentos de Línguas Estrangeiras à luz do QECR – 3 horas 4. Avaliação e feedback de qualidade: diferentes tipos de avaliação nas LE; avaliação formativa; feedback – 3 horas 5. Avaliação para as aprendizagens e Avaliação das Aprendizagens: atividades/tarefas – 3 horas 6. Avaliação enquanto aprendizagem: o uso de rubricas – 3 horas 7. Apresentação, discussão e avaliação dos planos de aula e materiais desenvolvidos no âmbito da oficina - 7 horas.

Avaliação

De acordo com o RJFCP – Decreto-Lei n.º 22/2014, de 11 de fevereiro - e nos termos dos n.ºs 5 e 6, do artigo 4.º do Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, valorizando-se uma lógica formativa e de acompanhamento. Assim, a avaliação dos/as formandos/as incidirá sobre: 1. A participação e o trabalho contínuo realizado ao longo das sessões presenciais – 25% 2. A componente de trabalho individual, tendo em conta a qualidade dos planos de aula e materiais produzidos; A apresentação dos trabalhos. – 75%

Bibliografia

Brookhart, Susan M. Classroom Assessment Essentials. ASCD, Alexandria.2024Cooper, Damian e Jeff Catania. Rebooting Assessment: A Practical Guide for Balancing Conversations, Performances, and Products (How to Establish Performance-Based, Balanced Assessment in the Classroom). Solution Tree Press, Bloomington, 2022.Greenstein, Laura M. Assessing 21st Century Skills: A Guide to Evaluating Mastery and Authentic Learning. Corwin, Thousand Oaks, 2012.Guskey, Thomas R. e Susan M. Brookhart (eds). What We Know About Grading: What Works, What Doesn't, and What's Next. ASCD, Alexandria, 2019.Szczepanski, Amy. “I Let Students Choose Their Grading Criteria, and Here’s How It Went”. www.edutopia.org/article/letting-students-choose-their-grading-criteria. Acedido em 28/02/2024

Anexo(s)

Cronograma


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-05-2024 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 15-05-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 24-05-2024 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 29-05-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 05-06-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 12-06-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 22-06-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
8 22-06-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. Ação 10Moncorvo Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123381/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 15-04-2024

Fim: 03-06-2024

Regime: e-learning

Local: Agrupamento de Escolas Dr. Ramiro Salgado

Formador

José António Flambó Afonso Batista

Destinatários

Professores dos grupos 200, 210, 220, 300, 310, 320, 330, 340, 350

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 200, 210, 220, 300, 310, 320, 330, 340, 350. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos grupos 200, 210, 220, 300, 310, 320, 330, 340, 350.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Numa sociedade cada vez mais imersa em Inteligência Artificial, os professores devem integrar as potencialidades desta ferramenta na prática continuada da escrita criativa, minimizando os riscos e as questões éticas associadas, uma vez que auxilia os alunos a superar o receio da página em branco, espicaça a inspiração e a criatividade, bem como contribui para o desenvolvimento da competência escrita. De facto, pretende-se que a Escola de hoje esteja aberta à criatividade, rompendo com uma pedagogia mais transmissiva; daí ser importante que os docentes recorram a vários estímulos de e para a escrita criativa para os alunos poderem expressar livremente saberes, ideias e emoções, experimentar novos percursos de (re)construção de vários tipos de texto, reformular o pensamento, colocar-se no lugar do outro, olhar o mundo de diferentes formas, crescer e desenvolver-se como cidadãos críticos e interventivos num mundo em constante devir.

Objetivos

- Discutir a pertinência da criatividade na Escola hodierna. - Refletir sobre os desafios e potencialidades da escrita criativa com a Inteligência Artificial. - Adquirir ferramentas e técnicas de escrita criativa. - Estimular a prática da escrita criativa através da experimentação. - Desenvolver práticas indutoras de metodologias ativas em ambientes educativos híbridos. - Fomentar o prazer da leitura e da escrita. - Conceber recursos e atividades de aprendizagem para aplicar em contexto de sala de aula e/ou em articulação com a biblioteca escolar. - Potenciar o trabalho colaborativo e interdisciplinar, a partilha de saberes e de experiências pedagógicas.

Conteúdos

Módulo 1: Da escrita humana à escrita da Inteligência Artificial (6 h síncronas) - Apresentação do curso de formação, do formador e dos formandos. - Diagnose do grupo. - Criação de um diário de aprendizagem digital. - Criatividade na Escola. - Escrita criativa com a Inteligência Artificial. - Linguagem dos prompts. - Pós-processamento das respostas. Módulo 2: Jogos de escrita e escrita nos jogos (3 h síncronas) - Jogos de letras, palavras e rimas. - Provérbios e expressões idiomáticas revisitados. - Recursos e atividades de escrita criativa com jogos. Módulo 3: Poesia e prosa (3 h síncronas) - Nanopoesia. - Haikai. - Tanka. - Reescrita de poemas a partir de modelos. - Microcontos. - Contos. - Fábulas. Módulo 4: Storytelling, a arte de contar histórias (3 h síncronas) - Storytelling: conceito, objetivos e formas de contar - Ferramentas digitais para uma narração envolvente. Módulo 5: Escrita criativa e textos dos media (3 h síncronas) - Notícia. - Texto publicitário. Módulo 6: Escrita criativa e Cidadania e Desenvolvimento (3 h síncronas) - Direitos Humanos, Educação Ambiental e Interculturalidade. - Escrita, emoção e empatia. Módulo 7: Trabalho final e avaliação (4 h síncronas) - Apresentação do trabalho final. - Reflexão crítica. - Avaliação do curso de formação.

Metodologias

As sessões do curso decorrem via Zoom. Através da plataforma Moodle disponibilizam-se os recursos e atividades de aprendizagem e um mural digital para potenciar a participação ativa dos formandos, permitindo-lhes experienciar diferentes ambientes de aprendizagem. Na primeira sessão far-se-á a apresentação de: (i) curso (objetivos, conteúdos, metodologias, e calendarização e avaliação); (ii) orientações para o portfólio digital; (iii) guião para o relatório de reflexão crítica e trabalho final, a par dos respetivos os critérios de avaliação. Ao longo das sessões, centradas nas metodologias de aprendizagem por execução de tarefas, debate e reflexão crítica, fomentar-se-á o trabalho individual, a pares e em grupo. Na abordagem das plataformas/ ferramentas digitais, o formador iniciará com um momento expositivo/ demonstrativo, em interação com os formandos. Seguidamente, os formandos passarão à sua exploração. As atividades, numa lógica de trabalho colaborativo, privilegiam atividades integradoras, de cariz predominantemente prático, perspectivando-se novos rumos e metodologias que se traduzam em práticas inovadoras e criativas.

Avaliação

A avaliação traduz-se numa classificação final quantitativa, numa tabela de 1 a 10, conforme o Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio. Será tido em consideração o trabalho desenvolvido pelos formandos de acordo com os seguintes critérios e respetivos valores percentuais: – participação e realização dos trabalhos propostos ao longo da formação – 50% – elaboração de um trabalho final – 30% – apresentação de uma reflexão crítica sobre a ação – 20%

Bibliografia

Cleto, B. (2023). Exploração de algumas ferramentas de Inteligência Artificial numa Unidade Curricular de Multimédia. RE@D - Revista de Educação a Distância e Elearning, 6(2), 1-15. https://revistas.rcaap.pt/lead_read/article/view/32673/23517Moura, A. & Carvalho, A. (2023). Literacia de Prompts para Potenciar o Uso da Inteligência Artificial na Educação. Revista de Educação a Distância e Elearning, 6(2), 1-26. https://revistas.rcaap.pt/lead_read/article/view/33981Norton, C. (2001). Os Mecanismos da Escrita Criativa. Temas & Debates. LisboaSantos, M. (2013). Escrita em Dia. Clube do Autor. LisboaTierra, J. (2023). Guía de escritura creativa con Inteligencia Artificial. Editatum. Madrid

Anexo(s)

Cronograma


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 22-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 29-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 06-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 20-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 30-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 03-06-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona

Ref. 121T2 Em avaliação

Registo de acreditação: xxxxxxxxxxxxxx

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 12.0 horas

Início: 11-03-2024

Fim: 01-04-2024

Regime: Presencial

Local: None

Formador

Mafalda Cristina Gomes Sousa Guerreiro

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

EquaçãoDigital

Enquadramento

xxxxxxxxx

Objetivos

xxxxxxxxxx

Conteúdos

xxxxxxxxxx

Metodologias

xxxxxxxxxx

Avaliação

xxxxxxxxxx

Modelo

xxxxxxxxxx

Bibliografia

xxxxxxxxxx

Anexo(s)


Observações

observações ação xxxxxxxxxx

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 16-04-2024 (Terça-feira) 13:05 - 14:05 1:00 Presencial

Ref. Ação 35Carrazeda Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-124795/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 10-05-2024

Fim: 18-05-2024

Regime: Presencial

Local: Carrazeda de Ansiães

Formador

Liberto Paulo Arezes de Oliveira Reis

Destinatários

professores dos grupos 260 e 620

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de professores dos grupos 260 e 620. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de professores dos grupos 260 e 620.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Enquadrado na ENMAC 2020-2030, o projeto “Desporto Escolar Sobre Rodas” assenta na prioridade de intervir junto da população escolar, educando as gerações presentes e futuras para a mobilidade sustentável, nomeadamente, para uma mobilidade ativa ciclável, assim como, para a promoção da segurança e da cidadania no uso partilhado e responsável do espaço público. O PEDE 21-25 assume um alargamento a todas as escolas públicas com 2º ciclo, através das atividades regulares e estruturadas que operacionalizam um modelo pedagógico, estruturado por níveis de escolaridade, numa promoção da aprendizagem do padrão motor «Saber Andar de Bicicleta», assegurando o uso responsável da bicicleta no quotidiano e do ciclismo enquanto modalidade desportiva. Esta formação é fundamental para dar continuidade à capacitação dos docentes no amplo domínio da literacia velocipédica.

Objetivos

Dotar os professores de competências que facilitem a implementação do projeto «DE Sobre Rodas» nas suas escolas. Assente em 3 grandes pilares (aprendizagem do padrão motor “Saber Andar de Bicicleta”, educação rodoviária e educação para a cidadania), articulado com o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, pretende-se: a) Sensibilizar os participantes para a problemática da sustentabilidade ambiental, sedentarismo e obesidade infantil; b) Alinhar o projeto de escola com a ENMAC e com o PEDE 21-25; c) Implementar os eixos de atuação e as dinâmicas velocipédicas, no âmbito escolar; d) Planear e implementar o projeto «DE Sobre Rodas», alinhado com o modelo pedagógico definido.

Conteúdos

A. Introdução a um novo paradigma de ensino (2h) • Efeitos das alterações sociais no comportamento da população nas últimas duas décadas. • Análise das vantagens e da valorização da utilização da bicicleta à luz da educação ambiental, para a sustentabilidade, a cidadania, a economia e para a saúde. • O papel da escola:  No âmbito do projeto educativo;  Intervenção da disciplina de Educação Física – o passado, a atualidade e as ambições para o futuro;  Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória (PASEO). B. Apresentação do projeto “Desporto Escolar sobre rodas” – Dimensão Gestão - (4h) • Breve historial do projeto. • Enquadramento institucional:  Alinhamento do projeto «DE Sobre Rodas» com a ENMAC e as medidas da responsabilidade da Educação, através do Desporto Escolar;  Fatores críticos de sucesso definidos pela ENMAC;  Definição da prioridade de intervir junto da população escolar, educando as gerações futuras para a mobilidade sustentável;  Mapeamento do projeto «DE Sobre Rodas» – Agrupamento de Escolas/Escolas Não Agrupadas (AE/ENA) envolvidas;  Articulação com outros projetos educativos (Educação para a Segurança Rodoviária e Educação para a Cidadania);  Sustentabilidade dos projetos com o estabelecimento de protocolos, com enquadramento da ENMAC em contexto local;  Boas práticas: Exemplos de referência em AE/ENA e de dinâmicas com parcerias locais. C. “Pedala! Da Escola para a Vida”: Operacionalização do projeto «DE Sobre Rodas» – Dimensão Técnica - (19h) • Competências essenciais para “Saber Andar de Bicicleta”:  Ações motoras: técnicas e habilidades;  Categorias das técnicas de ciclismo;  As técnicas básicas: montar, desmontar, pedalar (propulsão), condução, equilíbrio e coordenação, travar. • Quando começar a aprender a andar de bicicleta? • Da bicicleta de balanço à introdução da pedalada. • O Modelo Pedagógico e Didático:  Questionários para aferição das condições, das motivações e dos interesses dos alunos – 1.º ciclo do ensino básico; 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e secundário.  Gincanas de nível 1 e nível 2:  Destrezas, pontuação e significado;  Condições e recursos;  Estratégicas para as aulas.  Proposta metodológica de ensino-aprendizagem:  Exercícios para diferentes níveis (4). • Recursos materiais, manutenção e reparações:  A bicicleta – considerações gerais sobre os tipos de bicicleta e ajustamento às caraterísticas do aluno;  Vestuário e acessórios;  Manutenção e Higienização: acondicionamento, ferramentas, substituição de componentes, reparações e afinações básicas. • Educação Rodoviária:  Regras específicas, pedalar em segurança, sinalização, normas básicas de circulação, a prevenção rodoviária e a escola – propostas. • Educação para a Cidadania:  «DE Sobre Rodas», Cidadania e Desenvolvimento: apresentação de propostas em conformidade com o PASEO. • Ciclismo Adaptado:  Pressupostos e considerações gerais sobre a temática;  As classes do paraciclismo;  Iniciação ao ciclismo adaptado na escola: propostas de intervenção e estratégias específicas.

Metodologias

A ação será desenvolvida da seguinte forma: 1) Sessões teórico-práticas com visualização e interpretação de imagens e vídeos; 2) Sessões predominantemente práticas com dinâmicas individuais, a pares e em grupo: • Experimentação e aplicação dos inquéritos: papel e online. • Aplicação das Gincanas de nível I e II: instalar; experimentar; avaliar e interpretar. • Elaboração de propostas de ensino-aprendizagem para os 4 níveis de ensino: experimentação e análise (trabalho por grupos). • Elaboração de um percurso/circuito em contexto controlado, com simulação de circulação na via pública. • Experimentação de bicicletas para ciclismo adaptado: bicicleta com adaptações, tandem, handbike, triciclo. • Experimentação de técnicas básicas para ajustamento, reparação e manutenção da bicicleta: tamanho, selim, guiador, pedais, furo – roda e câmara de ar, travões, corrente, lavagem e lubrificação. • Saída em bicicleta para zonas limítrofes da escola com identificação de zonas de risco e respetivos procedimentos: ciclovias, ecovias, ecopistas, parques públicos e via pública com variações de intensidade de tráfego.

Avaliação

A avaliação é contínua e incide sobre o desenvolvimento das competências do formando ao longo do curso, tendo por base a participação, o empenho nas sessões e o trabalho final proposto. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. Critérios e ponderações para avaliação dos formandos: a) Assiduidade (15%) b) Atividades práticas/Participação (60%) c) Trabalho escrito – balanço individual da formação (25%)

Bibliografia

“Pedala! Da Escola para a Vida” – Manual de Apoio ao Professor e Técnico Qualificado. ISBN: 978-972-742-487-O https://desportoescolar.dge.mec.pt/sites/default/files/manual_de_apoio_ao_professor_web.pdfInstituto da Mobilidade e dos Transporte, I.P. (2019) – Estratégia Nacional para a Mobilidade Ativa Ciclável, ENMAC 2020-2030 https://data.dre.pt/eli/resolconsmin/131/2019/08/02/p/dre/pt/htmlRepública Portuguesa | Educação – Programa Estratégico do Desporto Escolar 2021-2025 https://desportoescolar.dge.mec.pt/sites/default/files/programa_estrategico_de_2021_2025.pdfEstratégia Nacional de Educação para a Cidadania: http://www.dge.mec.pt/areastematicas“Do ABC da BTT até onde puderes…”. Visão e Contextos, Edições e Representações, Lda. Lisboa. Alpiarça, M. (2013)

Anexo(s)

Cronograma


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 10-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Presencial
2 11-05-2024 (Sábado) 09:00 - 11:00 2:00 Presencial
3 11-05-2024 (Sábado) 11:00 - 13:00 2:00 Presencial
4 11-05-2024 (Sábado) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial
5 17-05-2024 (Sexta-feira) 17:30 - 22:30 5:00 Presencial
6 18-05-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
7 18-05-2024 (Sábado) 14:30 - 16:30 2:00 Presencial
8 18-05-2024 (Sábado) 16:30 - 18:30 2:00 Presencial

Ref. Ação 31Mirandela Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122937/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 04-05-2024

Fim: 11-05-2024

Regime: Presencial

Local: Grande Auditório do Centro Cultural de Mirandela

Formador

Charlotte Fabienne Veiga Coelho

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A Neurodiversidade é importante na nossa Sociedade. Nem sempre compreendida, é capital a sensibilização da Comunidade e a formação dos profissionais do setor da Educação visando a promoção ativa da Inclusão.

Objetivos

- Conhecer diversas formas de neurodiversidade - Aprofundar conhecimentos sobre o neurodesenvolvimento - Adquirir ferramentas de intervenção na neurodiversidade

Conteúdos

- Perturbação do Espectro do Autismo - Sobredotação e Inclusão: Perspetivas Educativas e de Saúde no Contexto da Neurodiversidade - As vantagens desconhecidas da Neurodiversidade - Tudo é Neurodesenvolvimento - Escola, Neurodiversidade e Sociedade Digital - Tecnologia para a Inclusão - Projeto Leitura Inclusiva - Autismo da biologia à intervenção - Autismo e Inclusão Profissional

Metodologias

- Abordagem teórico-prática e demonstrativa; - Discussão

Avaliação

A Avaliação dos formandos obedece aos seguintes critérios: - Participação (40%); - Produção de relatório critico (60%). A Avaliação dos Formandos é uma avaliação individual que contempla uma Classificação Quantitativa na Escala de 1 a 10, conforme o previsto no ECD, devendo constar do respectivo Certificado, de acordo com a seguinte escala: Excelente – de 9 a 10 valores; Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; Bom – de 6,5 a 7,9 valores; Regular – de 5 a 6,4 valores; Insuficiente – de 1 a 4,9 valores

Bibliografia

Bandeira de Lima, C. (2012). Perturbações do Espectro do Autismo – Manual prático de intervenção. Lisboa: Lidel.Grant, D.(2009).The psychological assessment of neurodiversity. In D. Pollak (Ed.), Neurodiversity in Higher Education (pp.33-62). Chichester, UK: Wiley- BlackAustin, RD.,& Pisano, G.P. (2017). Neurodiversity as a competitive advantage. Harvard Business Review, 96-103

Anexo(s)

Cartaz

Cartaz


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-05-2024 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
2 04-05-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial
3 11-05-2024 (Sábado) 09:00 - 12:30 3:30 Presencial
4 11-05-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. ACD 36Alfândega Concluída

Registo de acreditação: ACD 36

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 01-05-2024

Fim: 01-05-2024

Regime: Presencial

Local: Biblioteca Municipal de Alfândega da Fé

Formador

Idalina Maria da Rocha Almeida

Maria Gil Fernandes Braga Gonçalves

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas de Alfândega da Fé

Enquadramento

Desenvolver e potenciar uma atitude positiva, parental e educativa, através de ferramentas de desenvolvimento pessoal e académico.

Objetivos

• Compreender e potenciar o desenvolvimento pessoal e académico; • Identificar e compreender as necessidades das crianças/jovens; • Perceber como satisfazer as necessidades das crianças/ jovens para que estes colaborem com os educadores; • Comunicar, assertivamente, resolver conflitos e evitar situações de stress; • Reconhecer e utilizar a criatividade como recurso para a resolução de problemas; • Direcionar o seu próprio foco e atenção de forma objetiva e produtiva; • Melhorar a atitude e obter melhores resultados.

Conteúdos

1. Desenvolvimento pessoal e académico 1.1- Perceção 1.2- Escola /Estudo 1.3- Conhecimento 2. Evolução com ação 2.1- Único 2.3- Liberdade (tempo / financeira) 2.4- Inteligência Emocional 3. Integração do potencial 3.1- Ação 3.2- Resultados

Bibliografia

Almeida, Idalina (2024) Desenvolvimento Pessoal e Académico. 1ª ed. Produção Independente. Antunes, M. C. P. (2008). Educação, Saúde e Desenvolvimento. 1ª ed. Almedina. Antunes, N. L. (2018). Sentidos. 1ª ed. Leya. Bennett, P. ; Murphy, S. (1999). Psicologia e Promoção da Saúde. 1ª ed. Climepsi. Correia, Diogo Teles. (2014). Manual de Psicopatologia. 2ª ed. Lidel Edições Técnicas. Lisboa. Desmurget, M. (2021). Fábrica dos cretinos digitais. Os perigos dos ecrãs para os nossos filhos. 1ª ed. Contraponto Editores Dias, D. (2018). Psicologia da Aprendizagem, paradigmas, motivação e dificuldades. 1ª ed. Edições Sílabo. Faria, C.L. et al. (2020). Intervenção em Psicologia Clinica. 1ª ed. Pactor Figueira, M. L.; Sampaio, D. ; Afonso, P. (2014). Manual de Psiquiatria Clínica. 1ª Edição. Lidel Edições Técnicas. Lisboa. Fonseca, V. (2010). Manual de Observação Psicomotora. Significação psiconeurológica dos seus fatores. 3ª ed. Âncora Editora. Gonçalves, M. M.; Simões. M. R.; Almeida. L. S. (2017). Psicologia Clinica e da Saúde. Instrumentos de Avaliação. 1ª ed. Pactor. Leal, I.; Ribeiro. J. P. (2021). Manual de Psicologia da Saúde. 1ª ed. Pactor. Lima, C. B. (2015). Pertubações do Neurodesenvolvimento. Manual de orientações diagnósticas e estratégias de intervenção. 1ª ed. Lidel. Lopes, João. (1977). Psicologia Científica. (1ª Edição). Didáctica Editora. Lisboa. Macedo, A. F.; Pereira. A. T.; Madeira. N. (2018). Psicologia na Medicina. 1ª ed. Lidel. Maia, L.; Correia. C.; Leite. R. (2009). Avaliação e Intervenção Neuropsicológica. Estudos de casos e instrumentos. 1ª ed. Lidel. Martins, P. T. (2022). Depressão e Ansiedade. 1ª ed. Lidel. Moreira, P.; Melo, A. (2005). Saúde Mental: do tratamento à prevenção. (1ª Edição). Porto Editora. Porto. Monteiro, P. (2014). Psicologia e Psiquiatria da Infância e da Adolescência. 1ª ed. Lidel – Edições Técnicas. Lisboa Plummer, D. M.(2012). Como Aumentar a Autoestima das Crianças. 1ª ed. Porto Editora. Ribeiro, J. L. P. (2010). Metodologia de Investigação em Psicologia e Saúde. 3 ª ed. Legis Editora. Rieffe, C, Oosterveld, P, Miers, A.C., Terwogt, M. M., & Ly V. (2008). Emotion awareness and internalising symptoms in children and adolescents: The Emotion Awareness Questionnaire revised. Sampaio, D. ( 2018). Do Telemóvel para o Mundo, pais e adolescentes no tempo da internet. 2ª ed. Caminho. Santos, M. C. (2021). Problemas de Saúde Mental em Crianças e adolescentes, identificar, avaliar e intervir. 3ª ed. Edições Sílabo. Tavares, J. et al. (2007). Manual de Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem. 1ª ed. Porto Editora. Teixeira, J. A. C. (2007). Psicologia da Saúde. Contextos e áreas de intervenção. 1ª ed. Climepsi. Veiga, F. H. (2019) Psicologia da Educação. 1ª ed. Climepsi. Vieira, C. et al. (2005). Ensaios sobre o Comportamento Humano, do diagnóstico à intervenção contributos nacionais e internacionais. 1ª ed. Almedina. Young, K. S., & de Abreu, C. N. (2011). Dependência de internet: manual e guia de avaliação e tratamento. Artmed Editora

Anexo(s)

Cronograma


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 01-05-2024 (Quarta-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial

Ref. ACD 29Vila Flor Concluída

Registo de acreditação: ACD 29

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 16-04-2024

Fim: 16-04-2024

Regime: e-learning

Local: Vila Flor (online)

Formador

Fernanda Maria Almeida Fonseca

Carlos Alberto Soares Machado Nunes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Agrupamento de Escolas de Vila Flor

Objetivos

• Conhecer as funcionalidades principais da plataforma intuitivo • Gerir e criar exercícios • Criar avaliações a partir da base de dados de exercícios • Publicar uma avaliação e partilhá-la com alunos

Conteúdos

• Características da plataforma intuitivo • Trabalho colaborativo • Pesquisa de exercícios e avaliações públicas • Criação e gestão de exercícios • Criação e gestão de avaliações • Publicação e avaliação de avaliações

Anexo(s)

Cronograma


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 16-04-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. Ação 19Mirandela Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123384/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 12-04-2024

Fim: 20-04-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária /3º ciclo de Mirandela

Formador

Carlos Manuel Carrilho Alves

Destinatários

Professores de Educação Física dos grupos de recrutamento 260 e 620

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Educação Física dos grupos de recrutamento 260 e 620. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Educação Física dos grupos de recrutamento 260 e 620.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A Dança Social é uma matéria da Subárea Atividades Rítmicas e Expressivas no âmbito das Aprendizagens Essenciais de Educação Física, desde o 5º ano do Ensino Básico até o 12º do Ensino Secundário, embora não exista a especificação de conteúdos no que diz respeito às Danças Sociais (Danças de Salão). Nesta matéria, trabalhamos várias áreas de competência, de acordo com o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, como por exemplo: Relacionamento Interpessoal, Sensibilidade Estética e Artística e Consciência e Domínio do Corpo. É uma acção que responde às necessidades de formação específica na matéria, por parte dos Docentes de Educação Física da Região de Bragança. A Dança é uma matéria motivante para os alunos, por incluir música e permitir a sua expressão através da linguagem corporal.

Objetivos

Dotar os formandos de conhecimentos relativos às concepções e metodologia no ensino das Danças Sociais (Danças de Salão) no contexto escolar; Contextualizar as propostas no âmbito do 2º e 3º Ciclo do Ensino Básico e Secundário; Proporcionar aos formandos a aprendizagem das Danças de Salão e respectivos conteúdos; Vivenciar das metodologias propostas através de cenários de prática / avaliação; Promover o desenvolvimento do conhecimento das Danças Sociais por parte dos alunos e da sua motivação para a prática.

Conteúdos

1ª Sessão (2 horas) – Apresentação. Caracterização e benefícios da prática de Danças de Salão. Diferenças entre Danças de Salão Modernas e Danças de Salão Latino-Americanas. 2ª Sessão (3 horas) – Danças Latinas e Africanas (Merengue e Kizomba). Aprendizagem de passos básicos e técnicas específicas. Construção de coreografias. Metodologia de Ensino e avaliação. 3ª Sessão (8 horas) – Danças de Salão Latino-Americanas (Chá-chá-chá, Rumba e Jive). Aprendizagem de passos básicos e técnicas específicas. Construção de coreografias. Metodologia de Ensino e avaliação. 4ª Sessão (8 horas) – Danças de Salão Modernas (Foxtrot, Valsa Lenta, Tango). Aprendizagem de passos básicos e técnicas específicas. Construção de coreografias. Metodologia de Ensino e avaliação. 5ª Sessão (4 horas) – Avaliação de coreografias realizadas pelos formandos.

Metodologias

1ª Sessão (2 horas) – Aula Teórica: Breve Resumo histórico de cada uma das Danças Caracterização das Danças Sociais Diferenças entre Danças Modernas e Latino-americanas 2ª Sessão (3 horas) – Aula Teórico-prática: Metodologia de Ensino e avaliação de Merengue, Kizomba. Merengue: passo básico, passo lateral e copy-cat turn. Kizomba: coreografia. 3ª Sessão (8 horas) – Aula Teórico-prática: Metodologia de Ensino e avaliação de Chá-chá-chá, Rumba e Jive. Chá-chá-chá: passo básico, promenade, progressivos, apresentação e volta. Rumba: passo básico, volta de seis e de três, progressivos e promenade. Jive: passo básico, volta lateral para a direita, volta lateral para a esquerda e volta com troca de lugares. 4ª Sessão (8 horas) – Aula Teórico-prática: Metodologia de Ensino e avaliação de Foxtrot, Valsa Lenta e Tango. Foxtrot: passo básico, rock turn, time step e promenade com volta. Valsa Lenta: passo básico, natural turn, reverse turn e quadrado. Tango: passo básico e rock turn. 5ª Sessão (4 horas) – Aula Prática: Avaliação de coreografias.

Avaliação

Os formandos serão avaliados na escala de 1 a 10 valores, conforme indicado nos n.ºs 5 e 6 do artigo 4.ª do Despacho n.º 4595/2015, DR, 2.ª série, N.º 87, de 6 de Maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos pelo CFAE, a saber: 40% para participação e 60% para produção de trabalhos e materiais com intervenção direta no contexto educativo.

Bibliografia

Castelló. M. (2001).Dança Comigo. Lisboa. Edição de Vega Editora.Rosado, M. C. (1998). As Danças Sociais no Contexto Escolar e não Escolar.Tese de Mestrado. Lisboa, Faculdade de Motricidade Humana.Salomó Guri, C.(1999). Unidades Didácticas para Secundaria III – Bailes de Salón. Barcelona, Inde Publicaciones.

Anexo(s)

Cronograma


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-04-2024 (Sexta-feira) 14:30 - 19:00 4:30 Presencial
2 13-04-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
3 13-04-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial
4 19-04-2024 (Sexta-feira) 14:30 - 19:00 4:30 Presencial
5 20-04-2024 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
6 20-04-2024 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. Ação 12Freixo Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123299/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 12-04-2024

Fim: 07-05-2024

Regime: e-learning

Local: Agrupamento de Escolas Guerra Junqueiro

Formador

Charlotte Fabienne Veiga Coelho

Destinatários

Professores dos Grupos 110, 910

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110, 910. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110, 910.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A trissomia 21 representa uma condição genética que agrega na sua expressão clínica e desenvolvimental, diversos desafios que requerem uma abordagem especializada visando proporcionar respostas educativas adequadas. A escola é um contexto de relevância particular na promoção do desenvolvimento global desta população, face à qual os docentes devem estar preparados.

Objetivos

- Conhecer as características clínicas da Trissomia 21 - Conhecer as abordagens educativas recomendadas na Trissomia 21 - Ser capaz de proporcionar respostas educativas eficazes visando desenvolver as competências multidimensionais destes alunos - Ser capaz de implementar medidas que promovam a inclusão destes alunos no meio socioescolar

Conteúdos

- Enquadramento científico 3h) - Caracterização clínica (3h) - Desafios em contexto escolar (4h) - Intervenção educativa e inclusão (5h)

Metodologias

▪ Abordagem teórico-prática e demonstrativa; ▪ Discussão e análise de materiais de intervenção da prática pessoal/profissional; ▪ Trabalho individual e em grupo.

Avaliação

Regime de avaliação dos formandos A Avaliação dos formandos obedece aos seguintes critérios: ▪ Participação (40%); ▪ Teste de conhecimentos (60%). ▪ Quantitativa na Escala de 1 a 10, conforme o previsto no ECD, devendo constar do respetivo Certificado, de acordo com a seguinte escala: o Excelente – de 9 a 10 valores; o Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; o Bom – de 6,5 a 7,9 valores; o Regular – de 5 a 6,4 valores; o Insuficiente – de 1 a 4,9 valores

Bibliografia

Antonarakis SE Down syndrome and the complexity of genome dosage imbalance. Nat. Rev. Genet 18, 147–163 (2017)Down JLH Observations on an ethnic classification of idiots. Lond. Hosp. Rep 3, 259–262 (1866).Ghosh S, Feingold E & Dey SK Etiology of Down syndrome: evidence for consistent association among altered meiotic recombination, nondisjunction, and maternal age across populations. Am. J. Med. Genet. A 149, 1415–1420 (2009).Hattori M et al. The DNA sequence of human chromosome 21. Nature 405, 311–319 (2000). A landmark paper on the sequencing of the long arm of HSA21.Herault Y et al. Rodent models in Down syndrome research: impact and future opportunities. Dis. Model. Mech 10, 1165–1186 (2017).

Anexo(s)

Cronograma


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-04-2024 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 19-04-2024 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 23-04-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 30-04-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 07-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona